segunda-feira, 16 de março de 2009

A teoria Malthusiana e sua atualização

Thomas Malthus, em sua "precária" época, parou para estudar os motivos de pobreza, crescimento do país e coisas assim. Vou copiar descaradamente os textos descrevendo a Teoria Populacional Malthusiana e a Teoria Populacional Neomalthusiana; Eu nunca tinha ouvido falar disso e fiquei realmente maravilhada "com as idéia do cara, aí ó!".



Teoria Populacional Malthusiana


Malthus observou que o crescimento populacional, entre 1650 e 1850, dobrou decorrente do aumento da produção de alimentos, das melhorias das condições de vida nas cidades, do aperfeiçoamente do combate as doenças, das melhorias no saneamento básico, e os benefícios obtidos com a Revolução Industrial, fizeram com que a taxa de mortalidade declinasse, ampliando assim o crescimento natural.

Preocupado com o crescimento populacional acelerado, Malthus publica em 1798 uma série de idéias alertando a importância do controle da natalidade, afirmando que o bem estar populacional estaria intimamente relacionado com crescimento demográfico do planeta. Malthus alertava que o crescimento desordenado acarretaria na falta de recursos alimentícios para a população gerando como consequência a fome.

Malthus foi ainda mais além em suas pesquisas afirmando que o crescimento populacional funcionava conforme uma progressão geométrica e a produção de alimentos, mesmo nas melhores condições de produção dos setores agrícolas só poderiam alcançar o crescimento em forma de uma progressão aritmética.

Com base nesses dados, Malthus concluiu que inevitavelmente a fome seria uma realidade caso não houvesse um controle imediato da natalidade.

A definição biológica de praga é quando uma população fica com alta taxa de natalidade e baixa taxa de mortalidade e o número de indivíduos cresce em progressão geométrica de forma anormal no ambiente. A superpopulação fica então sem controle até que surjam predadores que façam esse controle externo ou se os predadores e parasitas (doenças) não aparecerem, o descontrole continua até que acabe o alimento disponível no ambiente, gerando competição intraespecífica e controle populacional por fome.

No caso da população humana esse controle vem sendo feito com guerras, doenças e miséria. Nossa população está em explosão demográfica desde a revolução industrial, que começou na Inglaterra no século XVII por volta de 1650.

A solução defendida por Malthus seria:
- a sujeição moral de retardar o casamento
- a prática da castidade antes do casamento
- ter somente o número de filhos que se pudesse sustentar


Explicação: Para quem não sabe o que é progressão aritmética, ela funciona somando a constante, se esta for 2 logo seria (2, 4, 6, 8, 10...); se fosse 3 seria (3, 6, 9...) e assim por diante; já a progressão geométrica multiplica pela constante; sendo esta constante 2, "dobrando a população", seria assim: (2, 4, 8, 16, 32...) e vale o mesmo para outros "primeiros termos (exceção, 0)": (5, 10, 20, 40, 80...);
Agora pare para analisar o raciocínio do cara, não é brilhante?


A teoria Neomalthusiana segue o mesmo esquema mudando apenas algumas soluções:
"Para os neomalthusianos, a superpopulação dos países era a causa da pobreza desses países.
Novamente os teóricos explicavam o subdesenvolvimento e a pobreza pelo crescimento populacional, que estaria provocando a elevação dos gastos governamentais com os serviços de educação e saúde. Isso comprometeria a realização de investimentos nos setores produtivos e dificultaria o desenvolvimento econômico.

Para os neomalthusianos, uma população numerosa seria um obstáculo ao desenvolvimento e levaria ao esgotamento dos recursos naturais, ao desemprego e à pobreza. Afirmam que é possível melhorar a produtividade da terra com uso de novas tecnologias, e que é possível reduzir o ritmo de crescimento da população através do planejamento familiar."

Traduzindo essa teoria, é assim: "façamos 10, 15 filhos... Não precisamos nos preocupar com comida, o governo dá dinheiro e comida para nós. Roupas, educação, não vou precisar fazer nada pois vamos ser tão pobres mas tão pobres que o governo VAI TER que nos sustentar." Não parece um pensamento errado? Mas pode ter certeza que é o que passa pela cabeça deles...
O governo quer investir em saúde, educação e tal, cobra impostos altíssimos, mas o que adianta se 80% desses impostos vai pra sustentar quem não tem nem condição de pagar impostos? Ou se tem, muito provavelmente sonega! E aí?
Acho muito correto que haja escolas públicas, mas que se pague um valor simbólico, coisa de 30 reais pra conseguir manter os professores e o mesmo acontece com o onibus, não acho terrível ter que pagar pra andar de onibus... mas com o preço que está hoje (2,30 onibus, 2,55 metrô) chega a ser mais barato andar de carro! e dependendo de onde você for, é até menos estressante. Acho certo que se cobre por andar de onibus MAS fazendo calculos por cima, com certos benefícios como deficiente físico/mental e idoso não pagam, vendo quantas viagens são feitas e quantas pessoas usam aquela linha, ver os gastos e tudo mais, daria algo entre 40 e 60 centavos de preço justo por pessoa andar de onibus. Ok, e o prefeito quer investir, por isso cobra mais caro... 1 real é um ótimo preço, com isso ele LUCRARIA (atenção! estou falando de LUCROS, líquido, descontando salários gasolina e manutenção) pelo menos 50 reais para uma linha pouco movimentada (que costuma sair de circulação depois de um tempo sem sucesso) mas a média seria um LUCRO LÍQUIDO de 150 reais por dia POR LINHA DE ONIBUS cobrando apenas 1 real. Tenho certeza que a esse preço e com os investimentos corretos o trânsito diminuiria, a qualidade de vida, a poluição do ar, tudo iria ficar melhor..
Mas vou deixar esse assunto para um próximo post.
Hoje passei por baixo da catraca.

~~
Fontes: apesar de eu não gostar muito, Wikipedia.

5 comentários:

Ivich disse...

Ih, agora vc vai conhecer mais um montão desses caras.. Tomara q vc goste de todos, rs!
Ah, tenho q comentar: aki em BH, as empresas de ônibus lucaram tanto, q só aqueles anuncios atrás do ônibus já dariam para pagar a passagem de todos os estudantes da cidade, aff!

Diego disse...

Passou por baixo da catraca? Que feio... xD

E com relação aos ônibus, acho que nada nunca vai ser feito, porque as pessoas continuam precisando de ônibus e metrô para se locomover e, como teoricamente esse é o único modo, pois SP é uma cidade pequena pra caramba e andar a pé é um suicídio em grande estilo, os caras sabem que o que eles cobrarem [óbvio que nada muito absurdo] as pessoas vão acabar tendo que se sujeitar.

E com relação à mentalidade das pessoas, se na época dele era difícil mudar essas coisas, hoje em dia, pra mim, é impossível. Isso já tá intrínseco a sociedade, não é mais algo reversível.

Um cara na rua da empresa que eu trabalho tem oito filhos, ele disse que foi um plano pra ajudar nas finanças da casa, que ele não iria gastar com nada, o governo bancaria, e depois ele coloca os filhos pra trabalhar.

Bom, não estou julgando se é certo ou não, mas o cara comprou uma Kombi o.O

E esse tipo de coisa influencia os outros a fazer igual, independente de ser certo ou não.

Afinal, no Brasil isso não importa, né?

The Punisher... disse...

a teoria Malthusiana é brilhante XD
ele era um genio dos tempos antigos ;~~
baseando-se em calculos ele ja sabia oq a terra iria enfrentar XD
Fazer oq né =x
ótimo post e bjs Xd

Dudu disse...

Primeiramente, meus parabéns pelo texto (obviamente a sua parte) hehehe.

Malthus realmente era uma mente a frente de sua época, porém, hoje é possível perceber que o cara estava errado. Não teria como ele prever o aumento da tecnologia como ocorreu, e pelo que se sabe, hoje o problema da fome não tem por causa a baixa produção de alimentos, mas sim a distribuição e uma série de outros fatores que tornam a fome um sério problema para a humanidade.

Grande abraço

Anônimo disse...

legal!ah,a teoria ñ ;legal a sua cara d pau ;mas tá valendo o cara era fera mesmo ,só q infelizment(ou felizmet)ele errou .